Entre em contato conosco

Aprenda a fazer o reforço estrutural corretamente.

  • Aprenda a fazer o reforço estrutural corretamente.

Aprenda a fazer o reforço estrutural corretamente.

11 fevereiro, 2019
Por : Instituto IDD
Comentários : 0

Apesar das várias tecnologias existentes na produção do concreto, nenhuma delas é capaz de fazer com que ele não se deteriore.  Há diversas causas para esse desgaste, entre elas estão: infiltrações, ataques químicos, dilatações e retrações térmicas e claro a má execução do projeto.

A deterioração afeta a estética e a segurança da estrutura, nesse artigo vamos mostrar como fazer a recuperação estrutural corretamente, e assim restabelecer as condições de uso da edificação.

DIAGNÓSTICO

A primeira coisa que deve ser feita é encontrar o agente causador da deterioração, para isso é necessário contratar um especialista para que ele avalie as reais condições da estrutura. As falhas podem variar entre microfissuras (aberturas menores que 0,05 mm), fissuras (aberturas menores que 0,5mm) e trincas (aberturas até 1mm).  Se o concreto for exposto a substâncias agressivas que correrem as armaduras de aço, essas falhas podem evoluir para rachaduras ou fendas gravíssimas. 

Não adianta reestruturar o concreto sem antes tratar a causa da deterioração. Além disso, é preciso que o especialista avalie as falhas e decida quais materiais e técnicas serão utilizadas para a reparação.

REPARAÇÃO

Algumas trincas e fissuras são fáceis de serem reparadas, basta preencher suas aberturas com selantes acrílicos e posteriormente fazer o acabamento. Entretanto alguns casos são complexos de serem resolvidos, principalmente quando há exposição das armaduras de aço presentes nas estruturas de concreto, neste caso o reparo é mais trabalhoso.

 

 

O primeiro passo para recuperar as armaduras de concreto é diagnosticar o problema, logo em seguida é preciso verificar a superfície com um martelo para detectar áreas não aderidas ou deterioradas. O próximo passo é delimitar a região que precisa ser recuperada, fazendo um corte com a serra elétrica de, no mínimo, 5mm de profundidade. O objetivo desse corte é formar arestas retas na seção a ser reparada.

Em seguida, com o auxílio do martelete, faça o apicoamento das regiões danificadas e elimine todos os detritos. A armadura não pode ser atingida em hipótese alguma. Caso o reparo esteja sendo feito em vigas ou pilares recomenda-se isolar o local e posicionar escoras de sustentação para que não ocorra acidentes.

Caso as barras estejam oxidadas, utilize a ajuda de uma escova de aço para remover as camadas de óxido de ferro.  Porém, se as barras estiverem muito corroídas e a perda for muito alta, as barras devem ser trocadas. 

 

 

Realizada a limpeza ou a substituição da armadura, é necessário que seja feita a aplicação de resina epoxídica rica em zinco, esse material irá proteger a armadura contra corrosão.  Não é recomendado manchar o concreto durante esse processo. Para que a resina epoxídica rica em zinco funcione corretamente, é preciso esperar cerca de 1 hora até que o produto seque por completo.

Depois dessas etapas, molhe com água a área a ser recuperada, isso cria uma superfície aderente e isenta de partículas soltas, pinturas ou óleos.  Esse processo deve ser feito anteriormente a aplicação da argamassa de reparo. O profissional responsável pela obra saberá qual é o melhor tipo de concreto para cada caso, lembrando que para que a execução seja feita corretamente, é preciso seguir as informações do fabricante do concreto.

Após a escolha do concreto, preencha a área com a mistura, moldando-a com uma colher de pedreiro, ou até mesmo as mãos protegidas com luvas. Respeite o tempo de vida útil e de puxamento, em seguida execute o acabamento com uma desempenadeira.  Por último, inicie a cura úmida da área recuperada, por pelo menos sete dias. Essa etapa garante que não haverá o surgimento de fissuras de retração.

Existem outras formas de reforço estrutural, confie no seu engenheiro e faça a escolha certa!

 

 

Achou relevante essa informaçãoCompartilhe com seus amigos e deixe a sua opinião nos comentários!

Nos acompanhe também pelas redesFacebookLinkedinInstagram e Twitter.

Fonte: Cimento Mauá. 

EXPANDA SEU CONHECIMENTO
RECOMENDADO PARA VOCÊ
Deixe seu comentário
  1. Seja o primeiro a comentar.
IDD NEWS
11 de abril de 2019
Por: Instituto IDD

4 tipos de pontes que você precisa conhecer

Anos antes do nascimento de Cristo, as pontes já faziam parte do cotidiano das pessoas. Com o avanço da engenharia civil, quatro estruturas destacam-se, sendo elas:  ponte suspensa,(...)

15 de março de 2019
Por: Instituto IDD

4 motivos para você investir em inspeção!

As inspeções de obras sempre são motivos de polêmica no mundo da construção civil. Entretanto, se forem feitas de maneira correta, podem trazer inúmeros(...)

12 de março de 2019
Engenharia Civil
Por: Instituto IDD

Os principais sistemas de contenção

Com o avanço dos espaços urbanos, os sistemas de contenção têm se tornado cada vez mais necessários.  Eles fazem parte de grandes estruturas, tais como: s(...)

07 de março de 2019
Por: Instituto IDD

Saiba tudo sobre pavimento permeável!

Também conhecido como ecopavimento, a pavimentação permeável é um conjunto de técnicas para pavimentação de estradas, calçadas, cicl(...)

29 de janeiro de 2019
Por: Instituto IDD

Prevenção é a chave contra o rompimento de barragens!

A mineração e o desenvolvimento do Brasil estão alinhados desde dos primórdios da colonização. Essa atividade trouxe muitas riquezas e oportunidades para o pa(...)

24 de janeiro de 2019
Engenharia Civil
Por: Instituto IDD

Ponte importante em SP é interditada!

No último dia 23, a ponte que dá acesso à Rodovia Presidente Dutra pela pista expressa da Marginal Tietê foi interditada, o motivo: um rompimento na viga de apoio.A falha fo(...)