Entre em contato conosco

Aprenda a fazer o reforço estrutural corretamente.

  • Aprenda a fazer o reforço estrutural corretamente.

Aprenda a fazer o reforço estrutural corretamente.

11 fevereiro, 2019
Por : Instituto IDD
Comentários : 0

Apesar das várias tecnologias existentes na produção do concreto, nenhuma delas é capaz de fazer com que ele não se deteriore.  Há diversas causas para esse desgaste, entre elas estão: infiltrações, ataques químicos, dilatações e retrações térmicas e claro a má execução do projeto.

A deterioração afeta a estética e a segurança da estrutura, nesse artigo vamos mostrar como fazer a recuperação estrutural corretamente, e assim restabelecer as condições de uso da edificação.

DIAGNÓSTICO

A primeira coisa que deve ser feita é encontrar o agente causador da deterioração, para isso é necessário contratar um especialista para que ele avalie as reais condições da estrutura. As falhas podem variar entre microfissuras (aberturas menores que 0,05 mm), fissuras (aberturas menores que 0,5mm) e trincas (aberturas até 1mm).  Se o concreto for exposto a substâncias agressivas que correrem as armaduras de aço, essas falhas podem evoluir para rachaduras ou fendas gravíssimas. 

Não adianta reestruturar o concreto sem antes tratar a causa da deterioração. Além disso, é preciso que o especialista avalie as falhas e decida quais materiais e técnicas serão utilizadas para a reparação.

REPARAÇÃO

Algumas trincas e fissuras são fáceis de serem reparadas, basta preencher suas aberturas com selantes acrílicos e posteriormente fazer o acabamento. Entretanto alguns casos são complexos de serem resolvidos, principalmente quando há exposição das armaduras de aço presentes nas estruturas de concreto, neste caso o reparo é mais trabalhoso.

 

 

O primeiro passo para recuperar as armaduras de concreto é diagnosticar o problema, logo em seguida é preciso verificar a superfície com um martelo para detectar áreas não aderidas ou deterioradas. O próximo passo é delimitar a região que precisa ser recuperada, fazendo um corte com a serra elétrica de, no mínimo, 5mm de profundidade. O objetivo desse corte é formar arestas retas na seção a ser reparada.

Em seguida, com o auxílio do martelete, faça o apicoamento das regiões danificadas e elimine todos os detritos. A armadura não pode ser atingida em hipótese alguma. Caso o reparo esteja sendo feito em vigas ou pilares recomenda-se isolar o local e posicionar escoras de sustentação para que não ocorra acidentes.

Caso as barras estejam oxidadas, utilize a ajuda de uma escova de aço para remover as camadas de óxido de ferro.  Porém, se as barras estiverem muito corroídas e a perda for muito alta, as barras devem ser trocadas. 

 

 

Realizada a limpeza ou a substituição da armadura, é necessário que seja feita a aplicação de resina epoxídica rica em zinco, esse material irá proteger a armadura contra corrosão.  Não é recomendado manchar o concreto durante esse processo. Para que a resina epoxídica rica em zinco funcione corretamente, é preciso esperar cerca de 1 hora até que o produto seque por completo.

Depois dessas etapas, molhe com água a área a ser recuperada, isso cria uma superfície aderente e isenta de partículas soltas, pinturas ou óleos.  Esse processo deve ser feito anteriormente a aplicação da argamassa de reparo. O profissional responsável pela obra saberá qual é o melhor tipo de concreto para cada caso, lembrando que para que a execução seja feita corretamente, é preciso seguir as informações do fabricante do concreto.

Após a escolha do concreto, preencha a área com a mistura, moldando-a com uma colher de pedreiro, ou até mesmo as mãos protegidas com luvas. Respeite o tempo de vida útil e de puxamento, em seguida execute o acabamento com uma desempenadeira.  Por último, inicie a cura úmida da área recuperada, por pelo menos sete dias. Essa etapa garante que não haverá o surgimento de fissuras de retração.

Existem outras formas de reforço estrutural, confie no seu engenheiro e faça a escolha certa!

 

 

Achou relevante essa informaçãoCompartilhe com seus amigos e deixe a sua opinião nos comentários!

Nos acompanhe também pelas redesFacebookLinkedinInstagram e Twitter.

Fonte: Cimento Mauá. 

EXPANDA SEU CONHECIMENTO
RECOMENDADO PARA VOCÊ
Deixe seu comentário
  1. Seja o primeiro a comentar.
IDD NEWS
29 de janeiro de 2019
Por: Instituto IDD

Prevenção é a chave contra o rompimento de barragens!

A mineração e o desenvolvimento do Brasil estão alinhados desde dos primórdios da colonização. Essa atividade trouxe muitas riquezas e oportunidades para o pa(...)

24 de janeiro de 2019
Engenharia Civil
Por: Instituto IDD

Ponte importante em SP é interditada!

No último dia 23, a ponte que dá acesso à Rodovia Presidente Dutra pela pista expressa da Marginal Tietê foi interditada, o motivo: um rompimento na viga de apoio.A falha fo(...)

22 de janeiro de 2019
Engenharia Civil
Por: Instituto IDD

O que é Retrofit ?

A palavra retrofit sempre aparece quando precisamos fazer uma reforma em um edifício ultrapassado, mas afinal, o que esse termo significa?O retrofit surgiu na Europa, continente que possui gran(...)

15 de janeiro de 2019
Engenharia Civil
Por: Instituto IDD

Escolha o melhor Sistema de Impermeabilização para sua obra!

O excesso de água é um dos maiores inimigos de uma construção. Podendo ocasionar mofo, manchas na pintura, entre outros, a umidade precisa ser combatida antes que seja tard(...)

11 de janeiro de 2019
Por: Instituto IDD

5 tendências para Engenharia Civil em 2019

Não é de hoje que a tecnologia está presente no canteiro de obras, algumas ferramentas já estão sempre amplamente usadas, o drone é um exemplo disso. Esses ve(...)

20 de dezembro de 2018
Por: Instituto IDD

5 estradas pelo mundo que são incrivelmente perigosas!

Uma das mais relevantes partes da engenharia é a pavimentação.  Vários engenheiros ao redor do mundo criaram estradas incríveis e ao mesmo tempo assustadoras. N(...)